A Comissão Europeia (CE) anunciou um novo pacote de 232 milhões de euros para reforçar as respostas das entidades públicas, assim como prevenir e conter o COVID-19 à escala mundial.

Na sequência da evolução da situação em Itália, onde se contavam pelo menos seis mortos, a Comissão decidiu intensificar o seu apoio aos Estados-Membros no contexto dos esforços de prontidão, contingência e planeamento da resposta.

Esta semana ainda vai partir para Itália uma missão conjunta de peritos do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e da Organização Mundial da Saúde para ajudar as autoridades italianas.

Desde que o surto de COVID-19 foi relatado na China, a CE, com o apoio das agências competentes da União Europeia (UE), em particular o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e a Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (EASA) tem fornecido orientações técnicas relacionadas com o risco, definição de casos para diagnóstico e notificação de casos suspeitos e confirmados,
prevenção e controlo de infeção em instituições de saúde, conselhos para viajantes, informações atualizadas sobre
terapêutica e vacinas, rastreio em aeronaves, gestão de pontos de entrada e recomendações ao setor da aviação.

A CE tem ainda coordenado a prestação de assistência à China, bem como financiado o custos de transporte dos voos de repatriamento dos Estados-Membros da UE e, para aumentar a preparação global, prevenção e contenção do vírus, anuncia agora um novo financiamento no valor de 232 milhões de euros.

Desta verba, 114 milhões de euros servirão para apoiar a Organização Mundial da Saúde (OMS), em particular na preparação global e plano global de resposta; 15 milhões de euros serão alocados em África, para apoio a medidas como diagnóstico rápido e vigilância epidemiológica; 100 milhões para investigação em epidemiologia, diagnóstico, terapêutica e gestão clínica e três milhões para o Mecanismo de Proteção Civil da UE, para voos de repatriamento.

Monitorização constante do COVID-19

Em comunicado, a CE refere que o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças está a monitorizar o surto através de atividades de inteligência epidémica e a fornecer avaliações de risco para orientar os Estados-Membros da UE nas suas atividades de resposta.