Equipa nacional cria tratamento digital para a depressão

depressão afeta cada vez mais portugueses

Num país onde os números da depressão não têm parado de aumentar, são cada vez mais urgentes formas de combater a doença acessíveis a todos. É isso que pretende um novo projeto, que procura interessados em fazer um tratamento gratuito e inovador para a depressão clínica.

A ideia é de especialista do INESC TEC, do Porto, em colaboração com o Instituto Universitário da Maia (ISMAI), que partem do princípio, já reconhecido, de que as abordagens baseadas na internet são “uma possível alternativa” a uma “lacuna” que se tem verificado: o escasso acesso a tratamentos eficazes. De facto, “metade dos Europeus ainda não recebe tratamento adequado para a depressão, por diversas razões, tais como listas de espera, ou custos elevados”.

É aqui que entra o ‘iCare4Depression’ (Eu Cuido da Depressão), um projeto que, explica-se na página da Internet que lhe é dedicada, “foca este problema, através de uma investigação acerca da eficácia clínica e o custo-eficácia da implementação de soluções combinadas de tratamentos empiricamente apoiados com abordagens baseadas na internet”.

Ou seja, oferecer uma combinação entre a psicoterapia cara a cara, com aplicações móveis e plataformas web que visam o tratamento da depressão, chegando a mais doentes e, ao mesmo tempo, reduzindo os custos associados ao mesmo.

A ideia é “criar a primeira forma de terapia computorizada ‘combinada’ para a depressão em Portugal”. Ao mesmo tempo, os especialistas pretendem “clarificar a sua eficácia clínica e relação custo-eficácia através de um ensaio clínico, comparando, a nível clínico e de custo-efetividade, a terapia computorizada ‘combinada’ e o tratamento usualmente utilizado nos centros de saúde de cuidados primários da área da cidade de Porto”.

Inscrições através da Internet

Para que este estudo se possa realizar são precisos voluntários, que devem ter “mais de 18 anos de idade, apresentar sintomas depressivos e não estarem, no presente momento, em acompanhamento psicológico”.

Os interessados devem responder a um questionário online (https://icare4depression.ismai.pt/enroll/) e, consoante o resultado, preencher um formulário com os dados necessários para um posterior contacto.

Números preocupantes

Segundo os dados da Organização Mundial de Saúde, a depressão é um transtorno mental comum, afetando globalmente mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades.

Trata-se da principal causa de incapacidade em todo o mundo, sendo um dos problemas que mais contribui para a carga global global de doenças.

Afeta mais mulheres do que homens e, nos casos mais graves, pode mesmo levar ao suicídio. Isto apesar de existirem tratamentos psicológicos e farmacológicos eficazes para a levar de vencida.

Posts relacionados