O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) realizou, pela primeira vez, a colheita de dois rins provenientes de um dador de órgãos em paragem circulatória.

Esta foi a primeira colheita, neste caso de rins, efetuada naquela unidade hospitalar neste tipo de dadores de órgãos, apesar de as colheitas de órgãos em dadores em morte cerebral serem uma prática corrente desde há vários anos.

Este procedimento é feito com recurso a uma equipa disciplinar, que inclui especialistas de áreas como o Serviço de Urgência, a medicina intensiva, a anestesiologia, a cirurgia, o Serviço de Sangue e Medicina Transfusional, entre outras.

No nosso país, a doação de órgãos em paragem circulatória teve início no fim de 2016, no Centro Hospitalar Universitário de São João. O CHUC passou a integrar a rede de unidades que o faz no início de 2020, mas a sua implementação sofreu atrasos em consequência da pandemia de COVID-19.

Trata-se de mais uma forma de salvar vidas, tendo em conta a escassez de órgãos para transplante, que torna impossível dar resposta a todos os doentes que se encontram em lista de espera.