Falar sobre saúde é falar sobre doenças, sobre investigação, tratamentos, avanços e recuos. Mas é falar também das empresas que ajudam a melhor a saúde, contribuindo também para o bem-estar de quem nelas trabalha. É o caso do laboratório farmacêutico Ferrer, reconhecido como Great Place to Work®.

A esmagadora maioria dos que trabalham na Ferrer Portugal (95%) acredita que a empresa é um excelente lugar para trabalhar.

Os resultados do questionário feito aos colaboradores da empresa no âmbito consultoria Great Place to Work®, revelam que estes valorizam a ética e a transparência da empresa, o orgulho de pertença gerado pela sua contribuição para a sociedade e o tratamento justo, independentemente da idade, raça, sexo ou orientação sexual.

Com uma força de trabalho com 46% de mulheres e paridade absoluta no seu Comité de Direção, a Ferrer Portugal é também valorizada como uma empresa acolhedora, onde a colaboração e a inclusão prevalecem.

“As pessoas estão no centro e o compromisso com o talento e o seu desenvolvimento é uma prioridade estratégica, que anda de mãos dadas com a promoção da transversalidade e a tomada de decisões baseada em dados”, revela a Ferrer Portugal em comunicado. “Esta transformação cultural visa promover o compromisso e a capacitação dos colaboradores de forma a gerar um impacto positivo na sociedade.”

Mario Rovirosa, CEO da Ferrer, considera que “esta certificação é um merecido reconhecimento do esforço e compromisso demonstrado por todos”. De resto, acrescenta, “se somos realmente um grande lugar para trabalhar, é porque temos grandes pessoas. Hoje estamos orgulhosos deste reconhecimento, mas não estamos satisfeitos, queremos continuar a aprender e a melhorar em conjunto. Esta é a única forma de fazermos a diferença”.

Fundada em Barcelona em 1959, a Ferrer está atualmente presente em mais de uma centena de países e conta com uma equipa de 1.850 pessoas, oferecendo soluções na área do sistema nervoso, pneumologia, metabolismo cardiovascular, dor, dermatologia, com um enfoque crescente nas doenças vasculares e intersticiais dos pulmões e nas perturbações neurológicas.