O dia que, por definição, serve para celebrar o amor é também Dia Nacional do Doente Coronário. É por isso que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) faz o balanço do número de doentes com enfarte agudo do miocárdio encaminhados através da Via Verde Coronária.

Em 2019, contabilizaram-se 676 casos de doentes com enfarte agudo do miocárdio encaminhados através da Via Verde Coronária, sendo os distritos com maior número de doentes encaminhados o Porto (171) e Lisboa (145).

A avaliação feita pelo INEM confirma que os doentes eram sobretudo do sexo masculino (540 casos) tendo, na sua maioria (74,11%), sido encaminhados através da Via Verde menos de duas horas depois da identificação dos sinais. Ao todo, em 19,53% dos casos o processo foi efetuado entre as duas horas e as  12 horas de evolução da sintomatologia, com 1,63% a dizerem respeito a situações com mais de 12 horas de evolução.

Em termos de hospitais, o Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, é o que se destaca com a maioria dos casos recebidos (105), seguindo-se o Hospital de Braga (83), Centro Hospitalar Lisboa Central – Hospital de Santa Marta (73), Centro Hospitalar Universitário do Algarve – Hospital de Faro (64) e o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho – Unidade I (51).

Os sinais do enfarte agudo do miocárdio que importa conhecer

Dor no peito de início súbito, com ou sem irradiação ao membro superior esquerdo, costas ou mandíbula, suores frios intensos, acompanhados de náuseas e vómitos, são alguns dos sinais que podem indicar este problema de saúde, aos quais se deve seguir, de imediato, o pedido de ajuda através do Número Europeu de Emergência, 112.

É que, ainda de acordo com o INEM, o reconhecimento precoce dos sinais e sintomas é fundamental. “Está demonstrado que o contacto com o 112 reduz o intervalo de tempo até ao início da avaliação, diagnóstico, terapêutica e agilização do transporte para a unidade hospitalar mais adequada, fundamentais para garantir o sucesso das medidas terapêuticas atuais”.

Feito o contacto, o INEM encaminha as vítimas para os hospitais adequados, através da Via Verde criada para o efeito, permitindo um tratamento mais rápido e eficaz nas unidades de cuidados intensivos coronários ou salas de hemodinâmica.

Recorde-se que o enfarte agudo do miocárdio é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita do fluxo de sangue nas artérias do coração (coronárias).

A realização de exames médicos de rotina, os hábitos de vida saudáveis, a prática de desporto de forma regular, evitar o tabaco e a vida sedentária são algumas das formas de prevenção eficazes e acessíveis a todos.