É a segunda causa de morte acidental nas crianças e, nos últimos 15 anos, foi responsável, de acordo com a Associação para a Promoção da Segurança Infantil, por 238 mortes com desfecho fatal em crianças e jovens no nosso país. É para contrariar os números do afogamento que uma startup da Lituânia criou Buddy, o Life-Collar (ou colarinho salva-vidas).

A Smartmedic juntou-se a uma equipa de investigadores da Universidade Tecnológica de Kaunas, Lituânia, para criar um protótipo de um colarinho inteligente, uma espécie de boia que se coloca à volta do pescoço e que enche de ar em contacto com a água, mantendo assim a cabeça de quem a usa acima da superfície.

Uma ferramenta que pode ser essencial, sobretudo para as crianças mais pequenas, que ainda não estão muito confiantes dentro de água, evitando o afogamento.

“O nosso colarinho inteligente funciona da forma que o airbag de um carro. Uma vez que o sensor instalado toca na água, ele ativa o mecanismo de libertação, que faz encher os airbags em 3-4 segundos. A cabeça do nadador é mantida acima a água e ele não pode se afogar”, explica Tadas Juknius, o autor da ideia.

A caminho da produção em massa

Com um peso de aproximadamente 120 gramas, o mesmo de um smartphone, o Buddy é usado à volta do pescoço, não restringindo os movimentos da criança.

Feito de materiais de alta tecnologia destinados a um uso de longo prazo, uma vez na água, enche de ar em três segundos, o que é uma velocidade muito boa para proteger a criança de lesões e ser eficiente a salvar vidas.

“Introduzimos nosso protótipo em feiras internacionais e recebemos críticas muito positivas. A próxima etapa é criar um protótipo para produção em massa”, confirma Kristina Judin, líder da empresa Smartmedic, parceira na comercialização do Buddy Life-Collar.

Buddy, colarinho salva-vidas

Trata-se de uma espécie de colarinho, que incorpora uma tecnologia semelhante à usada nos airbags.