Tenha mão no seu coração, para não ter o coração nas mãos

coração

Num país onde 55% da população tem dois ou mais fatores de risco cardiovasculares, 40% sofre de hipertensão, 30% tem colesterol muito elevado e mais de metade tem excesso de peso ou obesidade, há quem viva com o coração nas mãos. É por isso que, neste Mês do Coração, a Merck lança a campanha ‘Ter mão no coração’, em jeito de alerta, que deixa três conselhos que devem mesmo ser levados a peito, em nome da saúde cardiovascular.

É um gesto simples, mas cuja simplicidade contrasta com a sua importância: vigiar a pressão arterial e a frequência cardíaca. Isto porque ter uma pressão arterial elevada (superior a 140/90 mmHg para três ou mais leituras separadas) e uma frequência cardíaca em repouso acima do normal (superior a 60/70 batimentos por minuto) são fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

Mas ter mão no coração significa também seguir a receita para uma vida saudável, que inclui uma dieta equilibrada, trocar o sedentarismo pela prática de exercício físico (pelo menos 30 minutos diários) e dar ao corpo o descanso merecido.

Tudo isto sem esquecer o médico, que continua a ser o melhor amigo da saúde do coração. As consultas regulares ajudam na identificação precoce de problemas cardiovasculares e na correção dos fatores de risco que contribuem para as estatísticas nacionais, que continuam a apontar as doenças cardiovasculares como as que mais matam em Portugal.

Saiba mais em http://www.alertahipertensao.pt/

Conselhos para o coração

Posts relacionados