Mulheres com endometriose podem ter maior risco de AVC

endometriose

Um grande estudo descobriu que mulheres com endometriose podem ter um risco maior de AVC em comparação com aquelas sem esta doença inflamatória crónica, revela uma nova investigação publicada na revista Stroke, a principal publicação da American Stroke Association.

Estima-se que a endometriose (crescimento anormal de tecido semelhante ao endométrio fora do útero) afete cerca de 10% (190 milhões) das mulheres e meninas em idade reprodutiva em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. E, noutros estudos, já se tinha descoberto que as mulheres com endometriose correm maior risco de doenças cardiovasculares, como ataque cardíaco, pressão e colesterol altos.

“Estas descobertas sugerem que as mulheres com histórico de endometriose podem estar em maior risco de AVC“, defende Stacey A. Missmer, autora sénior deste estudo e professora de obstetrícia, ginecologia e biologia reprodutiva na Michigan State University College of Human Medicine, nos EUA.

“Os médicos devem olhar para a saúde total da mulher, incluindo a pressão arterial elevada, colesterol alto e outros fatores de risco para o acidente vascular cerebral, não apenas sintomas especificamente associados à endometriose, como dor pélvica ou infertilidade.”

Neste estudo, cientistas liderados pelo primeiro autor, Leslie V. Farland, professor de epidemiologia e bioestatística da Universidade do Arizona, examinaram a associação entre endometriose e o desenvolvimento de AVC isquémico (causado por coágulos sanguíneos que bloqueiam o fluxo sanguíneo) ou AVC hemorrágico (causado por hemorragia no cérebro) em 112.056 mulheres com idades entre 25 e 42 anos.

O diagnóstico de endometriose foi feito através de uma laparoscopia (procedimento cirúrgico no qual um instrumento de fibra ótica é inserido através da parede abdominal para visualizar os órgãos no abdómen ou para permitir um procedimento cirúrgico), confirmada em 5.244 mulheres.

Os especialistas analisaram então os dados recolhidos a cada dois anos para muitos possíveis fatores de confusão ou fatores de risco, incluindo ingestão de álcool, índice de massa corporal atual, padrão do ciclo menstrual na adolescência, toma de anticoncecionais orais, exposição hormonal na pós-menopausa, histórico de tabagismo, dieta, atividade física, entre outros.

Além disso, investigaram ainda se a associação entre endometriose e risco de AVC poderia ser explicada por outros fatores, como pressão alta, colesterol alto, histerectomia (remoção do útero), ooforectomia (remoção dos ovários) e terapia hormonal pós-menopausa.

E a análise verificou que as mulheres com endometriose (5.244) tiveram um risco 34% maior de AVC, em comparação com aquelas sem a doença (106.812).

“Estes resultados não indicam que as mulheres que têm endometriose terão um AVC. Em vez disso, significam apenas uma associação de risco relativo moderado”, explica Missmer. “As mulheres com endometriose devem prestar atenção a todo o corpo e discutir riscos adicionais e opções preventivas com a sua equipa de saúde.”

Posts relacionados