Para quem sente mesmo muita fome, a solução pode ser tão simples como… incluir abacates no prato. É pelo menos esta a conclusão de um estudo do Centro de Investigação Nutricional do Instituto de Tecnologia de Illinois.

Os abacates aqui usados foram os Hass, substituto neste estudo dos hidratos de carbono, com a avaliação do seu consumo, inteiro ou em metades, a ser foi feita junto de 31 adultos com excesso de peso ou obesidade, que partilharam a sensação de fome e saciedade sentida ao longo de um período de seis horas. 

Um trabalho que permitiu concluir ainda que as alterações na dieta, causadas pelo abacate, limitaram a insulina e glucose no sangue. Solução que reduz o risco de diabetes e doenças cardiovasculares, associado à inclusão na alimentação diária de gorduras e fibras saudáveis, como as que se encontram nos abacates.

“Durante anos, as gorduras foram consideradas a principal causa da obesidade. Agora, são os hidratos de carbono que estão a ser alvo de escrutínio devido ao seu papel na regulação do apetite e controlo de peso”, explica Britt Burton-Freeman, diretora do referido Centro.

“Não existe uma solução de ‘tamanho único’ quando se trata de composição ideal de refeição para gerir o apetite”, acrescenta, confirmando que aquilo que é uma receita de sucesso para uns, pode não o ser para outros.

“No entanto, entender a relação entre a química dos alimentos e os seus efeitos fisiológicos em diferentes populações pode revelar oportunidades para abordar o controlo do apetite e reduzir as taxas de obesidade, colocando-nos um pouco mais perto das recomendações dietéticas personalizadas”, reforça.