Banhos no mar aumentam risco de doenças

mar

Ainda não é tempo de ir banhos. Mas quando for, há que ter cuidado, alerta um estudo recente, que conclui que nadar no mar aumenta de forma significativa o risco de desenvolver problemas de estômago, dores nos ouvidos e outras doenças.

O conceito não é de hoje. Há muito que se sabe que são várias as doenças associadas às idas a banhos no mar, embora seja generalizada a ideia de que o risco a que estão expostos os banhistas nos países mais desenvolvidos seja muito reduzido.

Uma conceção errada, dá agora conta uma revisão de vários trabalhos, que quis quantificar o risco acrescido para os banhistas de águas costeiras de sofrerem de vários problemas de saúde, comparando com os que preferem ficar em terra.

Olhando para os dados de 19 estudos realizados no Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Dinamarca e Noruega, que contaram com a participação de 120.000 pessoas, estes confirmam a existência de um risco acrescido de se ter sintomas de várias doenças.

Mais concretamente, face a quem não nada no mar, o risco de sofrer de problemas nos ouvidos aumenta 77% e o de sentirem problemas gastrointestinais sobe 29%.

Alerta para poluição no mar

Para os autores do trabalho, investigadores da University of Exeter Medical School and Centre for Ecology and Hydrology, o objetivo não é afastar as pessoas dos banhos de mar, que oferecem benefícios à saúde, mas antes alertar para os níveis de poluição, que continua a ser um problema em muitos dos países mais ricos do mundo.

Posts relacionados