Para muitas pessoas com 50 anos ou mais, dor e inchaço no joelho, dedos ou pés pode ser sinal de osteoartrite, o tipo mais comum de artrite, que surge quando a cartilagem que amortece as articulações começa a desgastar-se. À dor, junta-se ainda a rigidez articular e perda de movimento, que os doentes conhecem bem. Mas há alguns factos curiosos e pouco conhecidos sobre a doença.

Por exemplo, que a osteoartrite afeta mais as mulheres que os homens, ainda que as causas exatas sejam desconhecidas. “Provavelmente existe uma grande componente genética que os médicos ainda não entendem”, explica Lucas Nikkel, cirurgião ortopédico do Instituto de Ossos e Articulações da Penn State Health, nos EUA.

Não existe cura para a osteoartrite, mas muitos tratamentos podem ajudar as pessoas a controlar a dor e a rigidez que ocorrem com frequência. O que talvez muitos não sabem é que esta é uma forma diferente de artrite.

“A osteoartrite é degenerativa, ocorrendo ao longo do tempo”, referem os especialistas. É diferente da artrite reumatoide, uma doença autoimune que faz com que o corpo ataque o revestimento das articulações.

No entanto, os sintomas da osteoartrite podem imitar, até certo ponto, os da artrite reumatoide, que “pode causar deformidades maiores nos dedos das mãos e dos pés do que a osteoartrite”, refere Nancy Olsen, reumatologista do Centro Médico Milton S. Hershey da Penn State Health.

Como reduzir a dor na osteoartrite

Perder peso pode reduzir a dor. Pessoas com um índice de massa corporal (IMC) de 30 ou mais têm maior risco de desenvolver osteoartrite devido à pressão que o excesso de peso exerce sobre as articulações. No entanto, perder até uma pequena quantidade de peso pode aliviar o desconforto. “Uma perda de peso de apenas 5% do peso corporal pode criar uma redução de 25% na dor”, refere Nikkel.

É preciso ter noção de que nem todos os analgésicos são iguais. Medicamentos analgésicos vendidos sem receita médica são frequentemente a primeira linha de tratamento. Os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno ou naproxeno são exemplos. “O acetaminofeno não possui ações anti-inflamatórias, por isso, embora trate a dor, não combate a inflamação gerada pela osteoartrite”, esclarece Olsen.

Os medicamentos de toma oral com receita médica também podem ajudar, assim como os de aplicação tópica e há injeções que funcionam, apesar de outras acarretarem riscos. O

Exercício e fisioterapia são outros do caminho para o alívio. O exercício pode melhorar a flexibilidade e o equilíbrio e, portanto, aliviar a dor. “As articulações funcionam bem por causa dos músculos”, acrescenta Olsen. “Quanto mais fortes os músculos, mais tempo uma pessoa pode usar essa articulação.”

A hidroginástica é eficaz porque move os músculos sem colocar peso na articulação e há cirurgias que também têm a sua eficácia. “A cirurgia de substituição articular é uma das operações de maior sucesso na medicina”, disse Nikkel, ainda que deva ser o último passo no tratamento.