São já oito as cidades chinesas que se encontram em isolamento. Para além de Wuhan, identificada como origem do coronavírus, há outras sete cidades na mesma situação, apesar de o vírus continuava a espalhar-se, sendo já 25 as mortes confirmadas pela infeção.

De acordo com a informação disponível, na China o número de casos associados à infeção pelo novo coronavírus passou de 634 na quinta-feira (dia 23), para 830 esta sexta-feira, tendo chegado já ao Japão, Arábia Saudita, Singapura, Coreia do Sul, Taiwan, Vietname e EUA, com casos não confirmados nas Filipinas e no México, o que mostrara a rápida disseminação do vírus.

Wuhan, capital da província de Hubei e onde residem mais de 11 milhões de pessoas, continuava em isolamento, com viagens suspensas e locais de entretenimento encerrados, medidas que foram também impostas em Huanggang e Ezhou (com um total de nove milhões de habitantes).

No que diz respeito às restrições de viagem, também foram impostas em cidades mais pequenas – Chibi, Lichuan, Quianjiang, Xiantao e Zhijiang.

No resto do mundo, países como Austrália, Bangladesh, Canadá, Índia, Malásia, Singapura, Coreia do Sul e EUA, começaram a rastrear viajantes, sobretudo os oriundos da China, para a presença de sintomas como febre ou tosse.

Coronavírus mais perigoso para doentes crónicos

São muitas ainda as informações que se desconhecem sobre o vírus. “Estamos ainda nos estágios iniciais de compreensão desta doença e há muito que não sabemos”, refere em comunicado a Organização Mundial da Saúde.

“Vamos continuar a monitorizar as informações sobre casos, pois isso é fundamental para melhorar a nossa compreensão da gravidade da doença”, acrescenta.

Problemas de saúde preexistentes podem tornar os indivíduos mais suscetíveis a uma forma grave do novo coronavírus, refere ainda o porta-voz da OMS. “Pessoas com doenças crónicas parecem ter maior vulnerabilidade a doenças mais graves.”

Hipertensão, problemas cardiovasculares, problemas respiratórios e hepáticos e diabetes podem exacerbar os efeitos do coronavírus. Os idosos também podem ser mais suscetíveis a uma forma mais grave da doença.