Estar de pé ajuda a perder 2,5 quilos por ano

balança de casa de banho para conhecer peso

Se está sentado, então talvez seja melhor pôr-se de pé. É pelo menos o que recomenda o novo estudo publicado no European Journal of Preventive Cardiology, que confirma que passar horas em pé pode não só prevenir o aumento de peso, mas ajudar os que têm quilos a mais a livrar-se de alguns. Contas feitas, uma pessoa de 65 quilos pode perder 10 quilos numa década se deixar a cadeira durante seis horas por dia.

Que estar sentado durante várias horas pode prejudicar a saúde já não é novidade. Há muito que a ciência estabeleceu a ligação desta tendência à epidemia de obesidade, às doenças cardiovasculares e à diabetes. O que este estudo quis comprovar foi se estar em pé queimava ou não mais calorias do que estar sentado.

Para isso, socorreu-se de 46 outros trabalhos, que contaram com a participação de 1.184 pessoas, com uma idade média de 33 anos, a maioria homens e com um peso médio de 65 quilos. E verificou que sim, que estar em pé queima mais 0,15 kcal por minuto do que estar sentado.

O que significa que seis horas por dia em pé equivale ao gasto de 54 kcal extra, ou qualquer coisa como 2,5 quilos por ano. Isto, claro, assumindo que não existe um aumento da ingestão calórica.

Vantagens para além da perda de peso

“Estar sentado não queima só mais calorias; proporciona uma atividade muscular que está associada a níveis mais reduzidos de ataques cardíacos, AVCs e diabetes. Por isso, os benefícios de estar de pé podem ir além do controlo de peso”, refere Francisco Lopez-Jimenez, responsável pela Cardiologia Preventiva na Mayo Clinic, EUA.

A tudo isto junta-se ainda o facto de as contas terem sido feitas por baixo, o mesmo é dizer, que os valores da perda de peso podem ser superiores, uma vez que, ao contrário do que acontece com os participantes dos estudos, que se encontravam parados, no dia-a-dia, quando estamos de pé, realizamos pequenos movimentos espontâneos, “como balançar de um pé para o outro, dar pequenos passos para a frente e para trás. As pessoas podem até ser mais propensas a caminhar até ao armário arquivador ou ao caixote do lixo”, acrescenta Lopez-Jimenez.

Embora acreditem ser necessário maior investigação, os especialistas envolvidos neste trabalho consideram que este pode configurar mais uma mudança de comportamento, capaz de reduzir o risco do ganho de peso a longo prazo. E é também necessário mais pesquisa sobre o impacto para a saúde de estar de pé durante longos períodos de tempo.

Posts relacionados