Dor nas costas, ombros ou joelhos. Uma má postura no local de trabalho costuma ter consequências e muitas destas são em forma de dor. E se pudesse ter um alerta sempre que a sua postura é incorreta, que lhe permitisse sentar-se como deve ser? Um desejo que pode em breve tornar-se realidade.

Especialistas da TU Kaiserslautern (TUK) e do Centro Alemão de Investigação em Inteligência Artificial (DFKI) decidiram lançar mãos à obra e criar um sistema de sensores que, colocados na roupa e no calçado, monitorizam os braços, pernas e costas, detetando sequências de movimento e o respetivo software que avalia estes dados.

Um sistema que fornece ao utilizador um feedback direto, através de um smartwatch, para que possa corrigir o movimento ou a postura.

Uma novidade que vai ser apresentada na International Consumer Electronics Fair (IFA), em Berlim, entre os dias 6 e 11 de setembro.

Dores nas costas: consequência de uma má postura

Sejam numa linha de montagem, onde as costas se curvam, a levantar pesos ou simplesmente a escrever um email no computador, o trabalho, a maioria das pessoas não presta atenção a uma postura ergonomicamente sensata ou a uma sequência suave de movimentos.

As dores nas costas são uma constante a nível global muito por culpa destes movimentos e posições. É para o seu alívio que nasce uma nova tecnologia, que usa sensores ligados a diferentes partes do corpo, como braços, coluna e pernas.

“Entre outras coisas, eles medem as acelerações e as chamadas velocidades angulares. Estes dados são processados ​​pelo nosso software”, explica Gabriele Bleser, que lidera o grupo de trabalho no TUK.

O software calcula os parâmetros de movimento, como ângulos articulares no braço e no joelho, ou o grau de flexão ou torção da coluna. “A tecnologia reconhece imediatamente se um movimento é executado incorretamente ou se uma postura incorreta é adotada”, continua Mathias Musahl, do Departamento de Visão Aumentada da DFKI.

O smartwatch é projetado para informar o utilizador diretamente, a fim de corrigir o seu movimento ou postura. Entre outras coisas, os investigadores planeiam instalar os sensores em roupas de trabalho e calçado, uma tecnologia interessante para quem trabalha na indústria, mas também para ajudar a prestar mais atenção ao próprio corpo na vida diária, seja no escritório ou em casa.