Novo teste vai permitir diagnóstico rápido de doença causada por carraças

doença causada por carraças

Chama-se doença de Lyme, é um problema de saúde causado pela picada de carraças, cujo diagnóstico não é fácil e costuma ser demorado. Algo que pode vir a ter os dias contados, graças a um novo teste que permite a deteção fácil, e que promete passar em breve do laboratório para os consultórios médicos.

Nos últimos anos, tem-se assistido a um aumento da incidência da doença de Lyme na Europa, sendo que, por cá, apesar de os dados serem poucos, há alguns estudos que sugerem uma crescente importância desta doença, provocada pelas carraças, sobretudo nas regiões do Norte e Centro. Em 2015, os dados da Direção-Geral da Saúde davam conta da existência de cinco casos.

“Durante muito tempo, a comunidade médica quis detetar diretamente a doença de Lyme”, afirma Joel Tabb, presidente e cofundador da Ionica Sciences, que integra a incubadora de ciências biológicas do McGovern Center em Cornell, nos EUA. 

“Resolver esse problema e poder detetar diretamente os marcadores da doença numa amostra de sangue muito pequena é um grande avanço”, acrescenta.

Teste fornece “impressão digital” da doença

A Ionica Sciences desenvolveu um ensaio à base de um soro chamado IonLyme, que fornece uma “impressão digital” de proteína ativa deixada pelas bactérias que causam a doença de Lyme.

Se a pele de um doente mostrar um determinado tipo de erupção, isso significa que a resposta do corpo à doença de Lyme foi iniciada. Mas a confirmação pode levar semanas, já que a resposta imunitária do corpo normalmente não atingiu níveis detetáveis. 

Com o novo teste, “é possível detetar uma infeção ou reinfeção pela doença de Lyme rapidamente”, refere Omar Green, diretor executivo e cofundador da Ionica Sciences.

“Quando se é exposto a Lyme, os anticorpos podem estar presentes durante décadas; e uma vez positivo, é quase impossível determinar se foi infetado na semana passada, no mês passado, no ano passado ou nos anos 90. O nosso teste também será capaz de diferenciar uma infeção nova de uma antiga”, algo que não está disponível para os médicos hoje.

O efeito da picada das carraças

Os especialistas acreditam que o teste pode vir a estar disponível para os médicos no fim de 2020, sendo necessário, antes disso, concluir a validação do mesmo em amostras de doentes com Lyme e depois transferir o teste para um parceiro de laboratório qualificado para o disponibilizar aos médicos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, lesões cutâneas precoces são dos primeiros sinais da doença, surgindo depois da picada das carraças. Febre, calafrios, mialgia e dor de cabeça são comuns, podendo ocorrer complicações no sistema nervoso central semanas ou meses após o início da doença. 

Posts relacionados