Em 2019, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) atendeu, nos seus Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), 1.414.858 chamadas de emergência, o que significa uma média de 3.887 chamadas por dia, 161 chamadas por hora e um aumento de 21.264 chamadas face a 2018.

O atendimento destas chamadas deu origem à ativação dos meios de emergência 1.337.799 vezes, entre os diversos tipos de ambulância (emergência médica, socorro, suporte imediato de vida, transporte inter-hospitalar pediátrico) motas de emergência, viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER) e helicópteros.

Os números apresentados correspondem a pedidos de socorro efetuados via Número Europeu de Emergência – 112 para situações de assistência a vítimas de acidente ou doença súbita, pedidos de triagem por parte dos parceiros no Sistema Integrado de Emergência Médica e chamadas recebidas diretamente do Centro de Contacto SNS24.

Para cada uma destas situações, os CODU prestaram o aconselhamento necessário e enviaram os meios de emergência mais adequados à situação clínica da vítima para as situações consideradas emergentes.

O funcionamento do 112

Da totalidade das 1.414.858 milhões de chamadas recebidas pelo INEM em 2019, cerca de 172.179 (12%) foram consideradas como não emergentes, das quais, 93.760 foram encaminhadas para o Centro de Contacto SNS24.

As chamadas recebidas no Número Europeu de Emergência – 112 são atendidas em primeira linha nos Centros Operacionais 112, geridos pelas forças de segurança. O 112 encaminha seguidamente para os CODU do INEM todas as situações que digam respeito a urgências ou emergências médica.

O funcionamento dos CODU é assegurado, 24 horas por dia, por equipas de profissionais qualificados (médicos, técnicos de emergência pré-hospitalar e psicólogos) com formação específica para fazer o atendimento, triagem, aconselhamento, seleção e envio de meios de socorro.

O que fazer em caso de emergência

O INEM apela à colaboração de todos os cidadãos para um correto funcionamento dos CODU. Por isso, em caso de acidente ou doença súbita, na ligação para o 112 devem informar, de forma simples e clara, a localização exata e, sempre que possível, com indicação de pontos de referência; o número de telefone do qual está a ligar; o tipo de situação (doença, acidente, parto, etc.); o número, o sexo e a idade aparente das pessoas a necessitar de socorro e as queixas principais e as alterações que observadas.

As perguntas efetuadas pelos profissionais dos CODU são muito importantes para a atuação do INEM, pois visam determinar qual o tipo de situação e o meio de socorro mais adequado para dar resposta à situação em questão. Deste modo, facultar toda a informação que seja solicitada vai permitir uma assistência mais eficaz.