Apesar da Covid-19, os hospitais estão a permitir, em Portugal, o acesso dos pais às Unidades de Neonatologia. No entanto, podem existir diferenças na forma como esse acesso é feito (número máximo de horas que os pais podem estar presentes, quantas vezes por dia, qual dos pais de cada vez). É por isso que nasce a campanha “Separação Zero”, que visa encorajar uma abordagem que continue a permitir os cuidados centrados nos pais e nos bebés prematuros quando e onde for possível, mesmo em tempos de pandemia.

Isto porque, segundo a XXS – Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro, o impacto a longo prazo desta política de separação sobre os resultados de saúde dos bebés que nascem cedo demais pode ser muito grande. 

Juntamente com a Healthy Newborn Network, March of Dimes e Save the Children, a XXS participou no Twitter Chat #WPD20chat, organizado pela @EFCNIwecare, onde se debateu porque é que a prematuridade é um assunto de saúde que tem de ser levado bastante a sério.

Resultante desta conversa, fica a certeza de que podemos melhorar a vida de mães e bebés e impactar o futuro das nossas sociedades, desde que com compromisso político e vontade de priorizar os cuidados maternos e neonatais, rácios de pessoal adequados, investimento em equipamento correto e formação adequada.

Para assinalar o Dia Mundial da Prematuridade, que se celebra esta terça-feira, 17 de novembro, a XXS começou a entregar, junto de 21 Unidades de Neonatologia de todo o País, mais de 4.500 gorros e botinhas XXS angariados no âmbito da campanha “XXS-XXL, Pequeno no Tamanho, Grande no Coração 2019-20”.

Uma campanha bienal que tem como objetivo alertar para a realidade dos nascimentos prematuros e, ao mesmo tempo, contribuir para dotar as Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais de todo o País destes materiais necessários aos bebés prematuros, ajudando também a promover o vínculo afetivo com os seus pais. 

Para celebrar este dia, num ano tão diferente do habitual por causa da pandemia, a XXS desenvolveu ainda uma série de iniciativas digitais para chegar a todos aqueles que estão relacionados com a causa da prematuridade, incluindo pais, profissionais de saúde e até os próprios Bebés XXS, entre elas as XXS Talks.

Durante este mês de novembro, a associação tem estado no Facebook Lives à conversa com cinco pais diferentes que viveram a dolorosa experiência da prematuridade, com cinco histórias diferentes de bebés XXS que nasceram prematuros entre as 23 e as 31 semanas de idade gestacional.

Oito mil bebés prematuros por ano

Em Portugal, nascem por ano cerca de oito mil bebés prematuros e 10% ficam internados, em média, 60 dias em Unidades de Cuidados Intensivos. 

Oito em cada 100 bebés nascem com menos de 37 semanas de gestação e 1% dos recém-nascidos tem menos de 1.500 gramas. Os prematuros representam 1/3 da mortalidade infantil no nosso país e as crianças que nascem antes do tempo têm problemas específicos que exigem apoios especializados.