Prémio incentiva investigação em oncologia pediátrica, escassa em Portugal

prémio para investigação em oncologia pediátrica

Não é só em Portugal, mas a tendência é generalizada. De facto, como confirma Cristina Potier, diretora-geral da Fundação Rui Osório de Castro (FROC), “a investigação em oncologia pediátrica, muito escassa não só no nosso país, mas também internacionalmente”. É para a reconhecer e, ao mesmo tempo, fomentar que a FROC atribui um prémio anual a quem a ela se dedica.

Este ano, a principal distinção é atribuída a uma especialista do Serviço de Oncologia do Hospital Pediátrico de Coimbra. Ana Catarina Cordeiro é a vencedora da 3ª edição do Prémio Rui Osório de Castro/Millennium BCP, com um trabalho sobre a infeção nas crianças com cancro.

‘Interleucina 6 (il-6) e interleucina 8 (il-8) como preditores de infeção bacteriana em doentes oncológicos pediátricos com neutropenia febril’ é o tema do trabalho, que conquistou o primeiro lugar devido à sua pertinência e relevância, inovação e originalidade, assim como rigor científico.

Prémio entregue no 5º Seminário de Oncologia Pediátrica

A Fundação Rui Osório de Castro e a Fundação Millennium BCP farão a entrega deste prémio, no valor de 15.000€, no decorrer do 5º Seminário de Oncologia Pediátrica, que terá lugar no Instituto Português de Oncologia do Porto, no próximo dia 16 de fevereiro.

A Fundação salienta ainda as duas Menções Honrosas atribuídas pelo júri a Sandra Alves, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, que vê o seu projeto ‘Desenvolvimento de uma abordagem terapêutica molecular para a Neurofibromatose tipo 1 através de exon-skipping’ distinguido pelo segundo ano consecutivo.

Delfim Duarte, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, IPO-Porto e Faculdade de Medicina da Universidade do Porto foi também distinguido, com o projeto ‘O papel da inflamação no microambiente da leucemia linfoblástica aguda de células t’.

Posts relacionados