São conhecidos por serem hostis, independentes e distantes, muito diferentes dos dedicados cães. Mas um novo estudo chama agora a atenção para o afeto que os gatos têm por aqueles que deles cuidam, que tem sido subestimado, garantindo que são tão apegados aos amigos humanos como os cães ou até mesmo os bebés.

Publicado na revista científica Current Biology, o estudo, realizado por especialistas da Universidade Estadual do Oregon, nos EUA, contesta a ideia de independência associada aos felinos, indicando que o vínculo criado entre seres humanos e os animais de estimação não é exclusivo dos cães.

“Em cães e gatos, o apego aos seres humanos pode representar uma adaptação do vínculo entre filhos e cuidadores”, explica Kristyn Vitale, investigadora do Laboratório de Interação Humano-Animal da Faculdade de Ciências Agrícolas daquela universidade.

“O apego é um comportamento biologicamente relevante. O nosso estudo indica que, quando os gatos vivem num estado de dependência de um ser humano, esse comportamento de apego é flexível e a maioria dos gatos usa o ser humano como fonte de conforto.”

Semelhanças entre gatos e bebés

No estudo, os especialistas fizeram com que os gatos participassem num “teste de base segura”, semelhante ao feito a bebés e cães, para estudar seus comportamentos de apego. Durante esse teste, o gato passava dois minutos numa nova sala com o cuidador, seguido por uma fase de dois minutos sozinho e outros dois minutos de reencontro.

Após o regresso do cuidador, na sequência da ausência de dois minutos, os gatos ficavam menos stressados ​​e equilibravam a sua atenção entre a pessoa e o ambiente. Ou seja, continuavam a explorar a sala.

 “Depois de ter sido estabelecido este apego entre gato e cuidador, o animal parece permanecer relativamente estável ao longo do tempo”, afirma Vitale.

Claro que existem sempre uma percentagem de animais com menos apego aos humanos, mas a percentagem é semelhante à verificada nos bebés. De facto, nos seres humanos, 65% das crianças estão firmemente ligadas ao cuidador, tal como acontece com os felinos.

“Os gatos inseguros podem correr e esconder-se ou parecerem estar à parte”, diz Vitale.

“Há muito tempo que existe uma tendência para pensar que todos os gatos se comportam desta maneira, mas a maioria usa o dono como fonte de segurança. O seu gato depende de si para se sentir seguro quando está stressado.”