A dose certa de exercício para um coração jovem

Por Nutrição & Fitness

Se motivos faltavam para se levantar do sofá e começar a praticar exercício, um novo estudo oferece mais um: manter o coração jovem. Para isso, referem os especialistas, são apenas necessários 30 minutos de atividade física quatro a cinco dias por semana.

Publicado na revista científica The Journal of Physiology, o trabalho incide sobre um tema que há muito tem sido alvo de intenso debate: qual a quantidade de exercício necessária para travar o envelhecimento do coração e dos vasos sanguíneos?

Isto porque, à medida que envelhecemos, as artérias, responsáveis pelo transporte do sangue de e para o coração têm tendência a tornarem-se mais rígidas, o que aumenta o risco de problemas cardíacos.

Apesar da prática de exercício, qualquer que seja, reduzir o risco geral de morte associada a problemas cardiovasculares, este novo trabalho mostra que diferentes artérias são afetadas, de forma diferente, por também diversos tipos de exercício. Trinta minutos diários de atividade física durante dois a três dias por semana podem ser suficientes para minimizar a rigidez das artérias de tamanho médio, enquanto os quatro a cinco dias semanais ajudam a manter a juventude das maiores e mais centrais.

Impacto do exercício nas artérias

A análise feita a 102 pessoas com mais de 60 anos, agrupadas consoante o exercício praticado – sedentárias (menos de duas sessões semanais), casuais (duas a três sessões por semana), comprometidas (quatro a cinco sessões) e atletas (seis a sete sessões por semana) – permitiu verificar que, quando predominou o exercício casual, foram sentidos reflexos nas artérias de tamanho médio, que transportam o oxigénio para a cabeça e pescoço.

No entanto, as pessoas que praticavam exercício quatro a cinco vezes por semana apresentava artérias mais jovens, não só as referidas antes, mas também aquelas responsáveis pela oxigenação do tórax e abdómen.

O que significa que as maiores artérias parecem exigir uma prática de atividade física mais frequente. Uma descoberta que os especialistas consideram importante, abrindo a porta à definição de programas de longo prazo.

Manter a juventude do coração

Apesar de limitada pelo facto de avaliar apenas a quantidade de exercício e não a sua intensidade ou duração, fatores que têm também impacto na saúde vascular, a investigação não deixa de causar entusiasmo junto de quem a realizou.

“Este trabalho é realmente emocionante porque nos permite desenvolver programas de exercícios para manter o coração jovem e até mesmo voltar atrás no tempo, no caso dos corações e vasos sanguíneos mais envelhecidos”, partilha Benjamin Levine, um dos autores do estudo.

“Trabalhos anteriores realizados pelo nosso grupo revelaram que esperar até os 70 anos é tarde demais para reverter o envelhecimento do coração, já que é difícil mudar a estrutura cardiovascular mesmo com um ano de treino. A nossa investigação atual está focada em dois anos de treino nos homens e mulheres de meia-idade, com e sem fatores de risco para as doenças cardíacas, para verificar se conseguimos reverter o envelhecimento do coração e vasos sanguíneos utilizando a quantidade certa de exercício, na altura certa.”