Os dados da Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho confirmam que três em cada cinco trabalhadores na União Europeia apresentam lesões associadas ao desempenho das suas funções, lesões musculoesqueléticas que são fruto de movimentos repetitivos, má postura, longos períodos em pé, entre outros. A pensar nisso, uma equipa de investigadores do Fraunhofer AICOS desenvolveu o Ergofeet.

Trata-se de uma tecnologia que usa uma palmilha para monitorizar a postura ergonómica no local de trabalho, através da análise da pressão plantar. Através de um conjunto de técnicas baseadas em aprendizagem computacional, esta nova tecnologia permite que se obtenha um sistema integrado de classificação de postura, ao estabelecer uma relação entre a pressão plantar e posturas de risco.

Recorrendo a um dispositivo semelhante a uma palmilha e com uma matriz de sensores de pressão plantar, o ErgoFeet constitui um método não invasivo e prático de monitorização da postura ergonómica no local de trabalho, por análise da pressão plantar.

A utilização de uma tecnologia sob a forma de palmilhas permite adaptar facilmente o sistema aos meios de trabalho mais exigentes, mediante colocação dos sensores no calçado usado, que pode mesmo ser calçado técnico.

De acordo com o UPTEC — Parque de Ciência e Tecnologia da U. Porto, onde se encontra sedeada a empresa, o ErgoFeet propõe uma escala de risco para a avaliação ergonómica de posturas de risco no local de trabalho, no sentido de determinar o nível de intervenção necessário para reduzir o risco associado ao desenvolvimento de lesões musculoesqueléticas ligadas ao trabalho.

O projeto Ergofeet, desenvolvido no Fraunhofer AICOS, surgiu no âmbito de uma tese de mestrado e promete reduzir as lesões provenientes do trabalho de cada cidadão.