Mais de 300 cientistas e académicos de topo em toda a Europa ganharam o último concurso de subvenções de consolidação do Conselho Europeu de Investigação, revela a Comissão Europeia. Entre os vencedores, que vão receber 600 milhões de euros, estão seis investigadores nacionais.

É no âmbito do programa de investigação e inovação Horizonte 2020 que os apoios foram atribuídos, destinados à construção de equipas e à realização de projetos de investigação com impacto.

As instituições portuguesas contempladas são a Fundação Champalimaud, a Universidade do Porto e ainda dois projetos da Universidade de Aveiro, havendo ainda três investigadores portugueses vencedores que trabalham em instituições estrangeiras.

Temas muito diversos

Como é que as alterações climáticas vão moldar a superfície da Terra? Quais são os efeitos a longo prazo dos aditivos alimentares na saúde? Estas são algumas das questões que os investigadores de toda a Europa se propuseram a explorar, e que agora poderão concretizar, graças ao recém-concedido financiamento da União Europeia (UE).

O Conselho Europeu de Investigação anunciou os vencedores do seu mais recente concurso do Consolidator Grant: 301 cientistas e investigadores de toda a Europa. 

Segundo a Comissária Europeia para Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, “o conhecimento desenvolvido nesses novos projetos vai permitir entender os desafios que enfrentamos a um nível mais fundamental e pode proporcionar avanços e inovações que nem imaginávamos”.

Projetos com investigadores de toda a Europa

Os bolseiros vão realizar os seus projetos em universidades e centros de investigação de 24 países da Europa, com a Alemanha (52 subsídios), Reino Unido (50), França (43) e Holanda (32) a destacarem-se como destinos principais.

Investigadores de 37 nacionalidades receberam financiamento, entre os quais os alemães (55 bolsas), franceses (33), holandeses (28) e italianos (23).

Quanto aos projetos propostos pelos novos bolseiros, estes abrangem vários tópicos na área das ciências físicas e engenharia, ciências da vida, bem como ciências sociais e humanas. 

Foram, ao todo, recebidas 2.453 propostas de investigação, das quais aproximadamente 12% serão financiadas, devendo criar cerca de 2.000 empregos para bolseiros de pós-doutoramento, estudantes de doutoramento e outros funcionários que trabalham na equipa de investigação.