Coca Cola promete bebidas com menos açúcar – Notícias Saúde

garrafas de coca-cola

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid”][vc_column_text]

Reduzir em 12% o teor de açúcar até 2020 e introduzir um esquema de cores nos rótulos das embalagens, que simplifica as escolhas dos consumidores por opções de bebidas mais saudáveis, são algumas das novidades anunciadas pela Coca Cola.

Dentro da garrafa ou fora dela: a Coca Cola tem novidades, anunciadas num encontro onde a empresa reconheceu as preocupações crescentes na área da saúde, sobretudo no que diz respeito ao consumo excessivo de açúcar, e reforçou a necessidade de uma mudança, que acompanha as novas necessidades dos consumidores. E isto significa uma redução do teor de açúcar nas bebidas que comercializa e alterações nas embalagens.

“Estamos num mundo em constante mudança e temos que nos adaptar”, confirma Tiago Lima, Diretor de Relações Externas da Coca Cola Portugal. E isso passa pelo reforço de uma estratégia que conta já com 29 anos de existência: a de reduzir o teor de açúcar mas bebidas comercializadas pela empresa.

“Uma em cada três bebidas da marca Coca Cola é sem açúcar”, refere Rafael Urrialde, Diretor de Nutrição e Saúde da Coca Cola Ibéria. “E queremos que estas alternativas cresçam ainda mais”, acrescenta, reforçando que, desde 2000, a empresa reduziu o teor de açúcar nas suas bebidas em 23% (por litro na oferta total), esperando reduzir outros 12% entre 2017 e 2020.

Embalagens mais pequenas, menos consumo de açúcar

A contribuição para a redução de consumo de açúcar entre os portugueses não se fica pela oferta de alternativas sem açúcar, light ou zero, que correspondem já a 28 referências no portfólio da Coca Cola, ou pelo corte deste nas bebidas originais.

A tudo isto junta-se a redução do tamanho das embalagens, com a introdução das latas com 150 ml, assim como a especificação, nos rótulos, do número de doses (em copos) existente em cada embalagem.

Se dentro da garrafa se assistiram – e vão continuar a assistir – a mudanças, fora da embalagem o próximo ano traz também consigo a promessa de novidades. De resto, é para 2018 que está prevista a introdução de uma esquema de cores nos rótulos das embalagens de bebidas da marca, que facilitam ainda mais a identificação, por parte do consumidor, das escolhas mais saudáveis.

Um exemplo que vem do Reino Unido, onde este esquema (com as cores vermelha, amarela e verde) mostra, de forma simples e imediata, a quem compra, quais as opções mais em menos saudáveis. “Vai tornar mais compreensível a informação nutricional”, confirma Rafael Urrialde.

A Coca Cola junta-se, assim, a outras cinco empresas na área dos alimentos e bebidas que pretendem utilizar o mesmo esquema de cores para uso conjunto na União Europeia, aderindo a um “sistema único”, segundo Tiago Lima, que deixa ainda antever a chegada de novos produtos. Mas sobres estes o anúncio fica para depois.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Posts relacionados