São várias as empresas que se encontram a trabalhar para encontrar soluções que possam ajudar a levar de vencida a pandemia. Muito se tem falado sobre uma potencial vacina, mas o trabalho desenrola-se noutras frentes: tratamentos e testes, capazes de ajudar no diagnóstico. Aqui, vai estar em breve disponível no mercado europeu mais uma opção, que tem como objetivo aumentar a testagem atual.

Desta feita é a Roche, que vai apresentar uma nova solução para o diagnóstico da infeção pela Síndrome Respiratória Aguda Grave por coronavírus (SARS-CoV-2), que permitirá aumentar a capacidade de testagem laboratorial.

Trata-se de um teste de antigénio, cuja utilização se destina a profissionais de saúde em ambiente de laboratório, que será disponibilizado no fim deste ano.

Thomas Schinecker, CEO da farmacêutica suíça, sabe que “os governos e os sistemas de saúde estão sob intensa pressão para aumentar a capacidade de testagem da pandemia provocada pelo SARS-CoV-2 para gerir de forma eficaz a propagação do vírus”.

Por isso, refere que este teste “é mais uma solução a adicionar ao conjunto de testes inovadores para ajudar a diagnosticar a infeção”.

Tipos de testagem diferente

De acordo com o Infarmed, os testes de pesquisa de antigénio desenvolvidos para o diagnóstico do SARS-CoV-2 são testes que detetam proteínas específicas do vírus, produzidas por este no trato respiratório.

A realização destes testes implica a colheita de amostras do trato respiratório.

Ainda de acordo com a autoridade nacional do medicamento, estes testes “têm uma menor sensibilidade que a metodologia de referência – os testes de biologia molecular -, no entanto, quando corretamente realizados e interpretados podem orientar as decisões em saúde pública e a vigilância da COVID-19“.