Equipa nacional cria forma simples de identificar asma em adultos

identificar a asma de forma mais fácil

Identificar a asma de forma simples e fiável nos adultos nem sempre é tarefa fácil. Ou pelo menos não era, uma vez que, agora, uma equipa de investigadores do CINTESIS criou uma ferramenta capaz de identificar a asma, através de um sistema de pontuações.

Apresentado publicamente em forma de um trabalho publicado no The Journal of Allergy and Clinical Immunology: In Practice, trata-se, segundo explica João Fonseca, líder da equipa de investigação do CINTESIS responsável pela ideia, “de um modelo de classificação válido”, que permite “distinguir, de forma simples, as pessoas nas quais a existência de asma é provável, daquelas cuja confirmação da doença requer uma avaliação médica e das que é muito pouco provável terem a doença”.

Para isso, foram criadas duas pontuações, com base na avaliação de dados de mais de 700 adultos com e sem asma, de todo o País. “Os doentes foram avaliados por um especialista em consulta médica estruturada e meios auxiliares de diagnóstico”, refere a propósito Ana Sá Sousa, primeira autora do trabalho.

Questionários que revelaram ser boas ferramentas de triagem da doença em adultos. Ao mesmo tempo, tornam possível, pela primeira vez, a utilização de pontuações cientificamente robustas em estudos epidemiológicos de asma.

Tratam-se de questionários curtos, com seis ou oito questões, fáceis de usar, sendo o resultado dado pela soma do número de respostas positivas. 

Uma doença com custos elevados

A asma é considerada um importante problema de saúde pública em todo o mundo, apresentando custos elevados, não só para os sistemas de saúde, como também para os doentes e suas famílias.

Por cá, estima-se que afete 700 mil pessoas e que custe aos cofres do Estado cerca de 550 milhões de euros por ano.

Posts relacionados