Generalizar testes genéticos do cancro pode prevenir milhões de casos em todo o mundo

testes genéticos BRCA

A triagem de populações inteiras em busca de mutações nos genes do cancro da mama e ovário pode prevenir milhões de casos em todo o mundo e milhões de mortes, revela um estudo internacional, liderado pela Queen Mary University de Londres. A investigação revela também que os testes genéticos são rentáveis.

Os genes causadores do cancro de mama e ovário, cujos mais conhecidos são BRCA1 e BRCA2, são mutações genéticas que causam cerca de 10 a 20% dos cancros do ovário e 6% dos cancros da mama. Se os portadores da mutação pudessem ser identificados antes de desenvolverem a doença, a maioria desses tumores poderia ser evitada através de medicamentos, aumento da triagem ou cirurgia.

As diretrizes clínicas atuais em todo o mundo recomendam apenas testes genéticos para mulheres de alto risco, por exemplo, se cumprirem determinados critérios clínicos ou se houver um forte histórico familiar de cancro da mama ou do ovário. No entanto, mais de 50% das portadoras de BRCA não atendem a estes critérios, o que significa que não são testadas.

Neste novo estudo, publicado na revista Cancers, os investigadores estimaram o custo-efetividade e o impacto na saúde dos testes de BRCA feitos na população em geral, em comparação com os testes clínicos padrão atuais, realizados apenas em mulheres consideradas de alto risco, isto em países ricos (Reino Unido/EUA/Holanda), com rendimentos médios (China/Brasil) e com rendimentos médio-baixos (Índia).

Idealizaram uma série de cenários de testes BRCA baseados na população e compararam os custos e o impacto na saúde com os da política atual baseada na história familiar da doença.

A relação custo-benefício foi calculada do ponto de vista social e do pagador, que inclui apenas os custos médicos incorridos pelo sistema ou prestadores de serviços de saúde (como custos de testes genéticos, triagem, prevenção e tratamento do cancro).

A perspetiva social tem também em conta custos como o impacto dos rendimentos perdidos pela incapacidade para o trabalho e menor tempo de vida devido ao cancro.

A equipa descobriu que os testes baseados na população eram extremamente económicos em países com rendimentos altos e médio-altos, do ponto de vista do pagador.

Do ponto de vista da sociedade, a poupança fez-se sentir também nos países com rendimentos médios, sendo necessário baixar o preço dos testes para que igual situação se verificasse naqueles com menores rendimentos.

Testes genéticos podem salvar vidas e gerar economia

As conclusões sugerem que os testes BRCA baseados na população podem prevenir um adicional de 2.319 a 2.666 casos de cancro da mama e 327 a 449 casos de cancro do ovário por milhão de mulheres do que a atual estratégia clínica.

No Reino Unido, por isso, isso iria traduzir-se na prevenção de 57.700 casos adicionais de cancro da mama (e 5.900 mortes por este tumor) e 9.700 casos de cancro do ovário (e 5.900 mortes), e resultados positivos semelhantes foram observados noutros países.

Ranjit Manchanda, especialista da Universidade Queen Mary de Londres e investigador principal do estudo, consideram que “os testes BRCA na população em geral podem trazer um novo paradigma para melhorar a prevenção global do cancro”.

“Porque é que precisamos de esperar que as pessoas desenvolvam um cancro evitável para identificar outras pessoas em quem podemos prevenir a doença? Devem ser desenvolvidas estratégias e caminhos de testes populacionais, para permitir que a genómica populacional alcance o seu potencial de maximizar a deteção precoce e a prevenção do cancro.”

“Com os custos dos testes a cair, isso pode oferecer novas e enormes oportunidades para a prevenção do cancro e mudanças na forma como fazemos o teste genético do cancro. Essa abordagem pode garantir que mais mulheres tomem medidas preventivas para reduzir o risco de cancro ou realizar exames regulares”, acrescenta.

Rosa Legood, professora associada da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, considera que esta “análise mostra que testar todas as mulheres em busca de mutações BRCA é uma estratégia mais económica, que pode prevenir esses cancros em mulheres de alto risco e salvar vidas. Essa abordagem tem implicações importantes, dadas as opções efetivas disponíveis para gerir a prevenção de risco do cancro da mama e ovário para mulheres com risco aumentado”.

Posts relacionados