A preocupação com o bem-estar no local de trabalho já vai muito além das rotineiras consultas de medicina do trabalho. Agora, os benefícios da meditação, ioga e outros exercícios projetados para gerir o stress estão a conquistar cada vez mais adeptos. Mas será que estas práticas, conhecidas como mindfulness ou atenção plena, realmente funcionam?

Um trabalho realizado por Lindsey Cameron, professora da Wharton School, uma instituição de ensino que pertence à Universidade da Pensilvânia, nos EUA, confirma que incluir apenas alguns minutos de mindfulness todos os dias torna os funcionários mais úteis e produtivos.

No seu artigo, intitulado “Ajudar os outros por estar no momento presente: mindfulness e comportamento pró-social no trabalho”, publicado na revista Organizational Behavior and Human Decision Processes, a imvestigadora conclui que o mindfulness “funciona”.

E refere ainda que “não é preciso investir numa intervenção intensiva de oito semanas para obter os benefícios daí decorrentes, porque todos sabemos que a vida no local de trabalho é profundamente relacional”.

“Passamos mais tempo no trabalho do que realmente com a nossa família e, às vezes, pode haver atritos. As pessoas estão a trabalhar em equipa; portanto, o mindfulness pode agir como um amortecedor para melhorar a coordenação e o funcionamento do relacionamento”, revela a especialista.

Bastam então pequenos episódios desta atenção plena, ou seja, qualquer coisa como sete a 15 minutos, para aumentar os comportamentos pró-sociais.

O que é o mindfulness

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar, mindfulness tem ganho popularidade no mundo inteiro como um método de excelência para lidar com as emoções.

A atenção plena “não procura esvaziar a sua mente de pensamentos ou emoções. Trata-se de prestar atenção ao momento presente, sem ficar apegado ao passado ou sem se projectar no futuro”, refere a associação.

Trata-se de um treino que pode, de facto, “mudar a forma como gere, reage e responde, por exemplo, a situações geradoras de stress, dando-lhe uma ferramenta valiosa para ficar mentalmente (e fisicamente) saudável”.