Com as temperaturas a subir e as férias à porta, é tempo de descanso e lazer, mas sem esquecer a segurança. É para ela que alerta o Instituto Nacional de Emergência Médica, (INEM), que partilha recomendações sobre como atuar em casos de emergência causados por situações que podem surgir durante o período de calor.

No verão aumenta o risco de afogamento. Por isso, o INEM aconselha especial atenção junto a qualquer local com água, onde se deve ter vigilância ativa sobretudo no caso das crianças.

Boias e braçadeiras adaptadas à idade dos mais pequenos são um acessório imprescindível, sendo ainda recomendado que se ensine a nadar as crianças o mais cedo possível.

Na hora de escolher, opte por praias vigiadas e não mergulhe em locais desconhecidos, respeitando as cores das bandeiras nas zonas balneares, às quais se juntam agora as cores associadas à pandemia e lotação do areal, e seguindo as indicações dos nadadores-salvadores.

Férias em segurança fora da água

De acordo com o INEM, a permanência demasiado tempo na água, sobretudo no caso das crianças, pode provocar hipotermia, ainda que normalmente ligeira.

É importante estar atento a sintomas como arrepios de frio, lábios e/ou pele ligeiramente arroxeados e, se tal acontecer, obrigar a criança a sair da água, retirar-lhe as roupas molhadas, secá-la, colocá-la num local abrigado do vento e protegê-la com uma tolha seca.

Tenha igualmente atenção quando se encontrar num ambiente que lhe pode ser estranho, devendo ter em consideração aspetos como fazer uma inspeção ao local onde se encontra, tendo em atenção a localização de escadas, tomadas elétricas e zonas de armazenamento de produtos que possam apresentar riscos para as crianças.

Há ainda que ter especial atenção aos espaços exteriores, identificando situações de perigo potencial; ao praticar desportos, utilizar equipamento de proteção adequado e procurar que a prática desportiva ocorra fora das horas de maior calor.

Quanto aos churrascos, devem ser feitos em locais apropriados e de forma a evitar incêndios.