De acordo com dados do Infarmed, a autoridade nacional de saúde em matéria de medicamentos, e em linha com últimos anos, a utilização de antibióticos em Portugal registou uma descida entre janeiro e setembro de 2020, face ao período homólogo. Dados partilhados a propósito do âmbito da Semana Mundial dos Antibióticos e do Dia Europeu do Antibiótico, que se assinala a 18 de novembro.

Nas farmácias comunitárias, a dispensa destes medicamentos desceu 20%, passando de uma média de 17,46 doses diárias definidas por mil habitantes por dia (DHD) para 13,97 DHD. Neste sentido, em número de embalagens esta variação correspondeu a menos 1.249.637 embalagens dispensadas nos primeiros 9 meses de 2020.

De acordo com os dados do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, Portugal voltou a ficar abaixo da média europeia em 2019, tanto a nível hospitalar como no consumo em meio ambulatório.

Portugal é ainda referido como o único país, para além da Noruega, onde a redução do consumo de carbapenemes (classe de antibióticos que é muito importante preservar, uma vez que é considerada terapêutica fim de linha em infeções graves) foi considerada estatisticamente significativa entre 2010 e 2019.

Campanha apela ao uso adequado dos antibióticos

À semelhança do que se verificou no ano passado, o Infarmed lança uma campanha, que inclui o envio de informação específica para os médicos e farmacêuticos de todo o País e materiais para colocação nas unidades de saúde e farmácias comunitárias.

O objetivo é continuar a incentivar o uso adequado dos antibióticos, tendo em conta que o arsenal terapêutico pouco tem sido reforçado nos últimos anos e que os atuais medicamentos estão em risco de perder a sua eficácia face ao crescimento das resistências bacterianas.