Pode o COVID-19 ser transmitido através dos alimentos? Podemos reforçar o sistema imunitário através do que comemos? É seguro amamentar? Qual a melhor estratégia para as compras de supermercado? Estas são algumas das questões sobre alimentação e coronavírus a que um guia, lançado pelo Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da Direção-Geral da Saúde, dá resposta. Um documento que pode e deve ser “utilizado por profissionais de saúde e por toda a população, pois hoje, somos todos agentes de saúde pública”.

O guia, que oferece orientações na área da alimentação, confirma que “um estado nutricional e de hidratação adequados contribuem, de um modo geral, para um sistema imunitário otimizado e para uma melhor recuperação dos indivíduos em situação de doença”.

Reforça também que as medidas adotadas para a prevenção da propagação da COVID-19, nomeadamente o isolamento preventivo, “poderão contribuir para alterações no comportamento de compra e de consumo de alimentos.  Por exemplo, a compra menos frequente e a necessidade de organizar de forma diferente a ida ao supermercado”.

As melhores escolhas no supermercado

O açambarcamento de produtos alimentares é também aqui tema de destaque, podendo mesmo ser “um estímulo ao consumo alimentar excessivo e de má qualidade nutricional (principalmente excesso de sal, açúcar e gordura), num período em que estão presentes outros fatores de risco, como por exemplo o sedentarismo e o stresse emocional”.

Por isso, há medidas que se devem ter em conta antes da ida ao supermercado, como planear o que é necessário colocar na lista de compras, tendo em contas as refeições, que devem também elas ser planeadas com antecedência.

O guia disponibiliza ainda um Kit Alimentar, ou seja, o que se deve comprar para quem se encontram em vigilância ativa e cujo isolamento preventivo por um período de 14 foi recomendado, apresentando uma lista de produtos a que deve ser dada preferência.

Em tempos de COVID-19, são seis os passos para uma alimentação saudável: comer mais fruta e hortícolas; beber água ao longo do dia e sem açúcar; aproveitar para recuperar a presença do feijão, do grão e das ervilhas à mesa; manter a rotina das refeições diárias, evitando snacks com excesso de açúcar e sal ao longo do dia; aproveitar esta oportunidade e cozinhe saudável com os seus filhos e fazer uma alimentação completa, variada e equilibrada, seguindo os princípios da Roda dos Alimentos.

Alimentação e coronavírus

Quanto à transmissão do novo coronavírus através da alimentação, a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Organização Mundial da Saúde defendem não existir, pelo menos até ao momento, evidência de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus.

Mas porque é sempre melhor prevenir, há que reforçar as boas práticas de higiene e segurança alimentar durante a manipulação, preparação e confeção dos alimentos.