Os testes de diagnósticos in vitro têm um papel essencial para os cuidados de saúde, permitindo o diagnóstico precoce da doença e um tratamento mais eficaz. Com a pandemia por SARS-CoV-2, os diagnósticos ganharam ainda mais relevância, já que auxiliaram a deteção precoce de cadeias de transmissão, contribuindo para reduzir a disseminação do SARS-COV-2. O tema vai estar em destaque, numa sessão que pode ser acompanhada aqui, organizada pela Roche Diagnósticos e pela NOVA-IMS.

O objetivo passa por analisar a importância dos diagnósticos nas decisões estratégicas em saúde para que a sua promoção e a prevenção da doença sejam uma verdadeira aposta para a qualidade de vida do cidadão e um contributo para a sustentabilidade do sistema de saúde.

Além de um painel de debate com diferentes perspetivas sobre o tema, a sessão contará também com a apresentação do estudo ‘Valor e impacto de Diagnósticos in vitro: uma revisão sistemática’, realizado pela NOVA-IMS.

Por um lado, o projeto aborda o papel dos diagnósticos para os doentes, profissionais de saúde e para o Serviço Nacional de Saúde, apontando que estes contribuem, num todo, para o aumento de produtividade no sistema de saúde, bem como para uma maior eficiência económica.

Por outro, o projeto engloba as conclusões de uma análise das perceções dos principais stakeholders face ao desafio de melhoria dos sistemas de apoio à decisão em saúde, bem como uma proposta de plano de ação face à introdução de inovação no sistema.

Com este projeto e debate, pretende-se contribuir para uma melhor compreensão dos fatores críticos da perceção do valor do diagnóstico in vitro, da aplicabilidade do mesmo e das dimensões dos seus contributos para o doente, área clínica, sistema de saúde e sociedade em geral.