Depois de Coimbra e do Porto, a campanha ‘saBeR mais ContA’, lançada no mês de maio, chega agora à capital, com a realização da sessão de esclarecimento ‘As mutações genéticas BRCA e o cancro’, no próximo dia 17 de outubro, pelas 15 horas, no Auditório do IPO Lisboa.

O que são as mutações genéticas BRCA? Qual a sua relação com o cancro, em particular com o cancro do ovário e mama? O que é o teste genético e quem deve fazê-lo? Estas e outras questões serão respondidas, numa conversa moderada por Adelaide de Sousa, que contará com especialistas na área da oncologia e genética humana, associações de doentes e testemunhos reais. 

Os números associados ao BRCA

Cerca de 72% das mulheres portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA1 e cerca de 69% das mulheres portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA2 irão desenvolver cancro da mama até aos 80 anos. No cancro do ovário, o cenário é idêntico – cerca de 44% das mulheres portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA1 e cerca de 17% das portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA2 irão desenvolver este tumar até aos 80 anos.

Saber como podem ser identificadas as mulheres portadoras destas mutações, antes ou durante a doença, que tipo de respostas podem ser conseguidas através desta identificação ou como encarar a mutação enquanto doente e enquanto portadora saudável serão também alguns dos tópicos que irão alimentar a sessão, para a qual as inscrições (gratuitas), poderão ser feitas para campanhasabermaisconta@gmail.com

A campanha ‘saBeR mais ContA’, uma iniciativa da Evita, da Liga Portuguesa Contra o Cancro, da Sociedade Portuguesa de Genética Humana, da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, da Sociedade Portuguesa de Senologia e da Sociedade Portuguesa de Oncologia e da AstraZeneca, conta ainda com uma exposição fotográfica, com testemunhos de famílias onde houve diagnóstico de cancro da mama e/ou ovário, associados à mutação BRCA, e outros que realizaram o teste genético.

Uma exposição que poderá ser vista de 7 a 21 de outubro, na estação de metro do Marquês de Pombal (junto ao acesso à linha amarela).