O BI Award for Innovation in Healthcare 2021 contou com um número recorde de candidaturas – mais de 100 -, analisadas ao detalhe tendo em conta o que se pretende com este prémio, o caráter inovador do projeto, a sua exequibilidade, sustentabilidade e impacto na saúde dos portugueses. Com base na informação apresentada, um Comité de Avaliação, que inclui a Ordem dos Médicos, selecionou os 12 projetos que seguem para a próxima fase, que consiste numa hackathon.

Os projetos escolhidos para o BI Award inserem-se em áreas estruturantes para os cuidados de saúde, como a medicina personalizada, telemedicina, triagem, referenciação de doentes e sistemas de informação. Poderão ser implementados de forma transversal, em diferentes contextos dos serviços de saúde, como é o caso dos cuidados de saúde primários, cuidados domiciliários, hospitais e medicina do trabalho.

A maioria dá resposta a pelo menos três pilares estratégicos, sendo a obtenção de Resultados em Saúde e os Sistemas de informação de saúde os temas/áreas que as equipas mais tocaram na procura de soluções inovadoras.

“O expressivo número de candidaturas que recebemos demostra que temos profissionais de saúde muito empenhados e motivados para procurar soluções inovadoras que melhorem a vida dos nossos doentes, precisando apenas que lhes sejam dadas condições para as ideias ganharem vida”. salienta Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos.

“Numa altura em que o acesso aos cuidados de saúde tem sido tão dificultado, é crítico que aproveitemos a energia destes projetos para modernizar o que fazemos, mas sem nunca perder de vista valores que nos definem, como a equidade, a solidariedade e o humanismo”, acrescenta.

A hackathon irá ter lugar entre 21 e 23 de maio, em formato online, onde as equipas contarão com a ajuda e apoio dos mentores, selecionados para esta iniciativa, para discutirem mais em detalhe o seu projeto e prepararem a apresentação do mesmo ao painel de júri.

Os projetos vencedores serão conhecidos no evento final, que se realiza a 28 de maio, na Ordem dos Médicos, em Lisboa.