Uma caminhada de 10 minutos por dia basta para prolongar a vida dos octogenários

caminhada

Um novo estudo, apresentado no congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, confirma aquilo que muitos já sabem: que caminhar é uma excelente forma de manter a saúde. Máxima válida também para as pessoas com mais de 85 anos, para quem uma hora de caminhada por semana está associada a uma maior longevidade.

Independentemente da idade, os adultos são aconselhados a fazer pelo menos 150 minutos por semana de atividade de intensidade moderada ou 75 minutos semanais de atividade de intensidade vigorosa, ou uma combinação equivalente. No entanto, o tempo sedentário tende a aumentar com a idade, ao mesmo tempo que diminui a quantidade de atividade física praticada.

“Os adultos têm menos probabilidade de cumprir as recomendações de atividade à medida que envelhecem”, refere Moo-Nyun Jin, especialista do Hospital Sanggye Paik da Universidade Inje, em Seul, na Coreia do Sul, autor do estudo.

“O nosso trabalho sugere que caminhar pelo menos uma hora por semana é benéfico para as pessoas com 85 anos ou mais. Simplificando, caminhe 10 minutos todos os dias.”

Este estudo examinou a associação entre caminhar e os riscos de todas as causas de doenças cardiovascular e de morte nos adultos com 85 ou mais anos e incluiu a avaliação de 7.047 adultos, com uma média de idade de 87 anos.

Os participantes foram classificados em cinco grupos de acordo com o tempo de caminhada lenta que realizavam por semana: cerca de 4.051 (57,5%) não fizeram caminhada lenta, 597 (8,5%) caminharam menos de uma hora, 849 (12,0%) caminharam de uma a duas horas, 610 (8,7%) de duas a três horas e 940 (13,3%) mais de três horas por semana.

E os especialistas concluíram que, em comparação com as pessoas inativas, aquelas que caminhavam pelo menos uma hora por semana (ou seja, as três categorias de caminhada mais altas) apresentavam riscos relativos de morte por todas as causas 40% mais baixos e por morte cardiovascular 39% menores.

“Caminhar está associado a uma menor probabilidade de morte nos adultos mais velhos, independentemente de praticarem ou não alguma atividade física de intensidade moderada a vigorosa. Identificar a quantidade mínima de exercício que pode beneficiar os idosos é uma meta importante, pois os níveis de atividade recomendados podem ser difíceis de alcançar”, refere o especialista.

E acrescenta: “uma caminhada de apenas uma hora por semana é vantajosa para as pessoas com 85 anos ou mais em comparação com estar completamente inativo. A mensagem para levar para casa é que devemos continuar a caminhar ao longo da vida”.

Posts relacionados