Não é só o frio que aperta. Com a chegada do inverno, os dias mais curtos e a época das gripes e constipações deixam marcas na saúde e bem-estar. Porque a primavera ainda tarda, aqui ficam três dicas para ajudar a lidar com o clima frio, cuidar do sistema imunitário e permanecer ativo nos meses mais frios, até que venham dias melhores.

Preparar com antecedência

Rachel Chung, especialista de Medicina Familar do Western Connecticut Medical Group, nos EUA, começa pela preparação, traduzida aqui em prevenção.

Como? Prevenir as gripes, através da toma da vacina, sobretudo aconselhada para os grupos de risco e de uma alimentação equilibrada e prevenir as quedas, mais frequentes em dias chuvosos, que tornam o piso mais escorregadio.

O outono é, segundo a especialista, “uma altura ótima para trabalhar a flexibilidade, que diminui o risco de cair. E se cair, a flexibilidade ajuda a diminuir a gravidade da lesão. Alongar várias vezes por semana pode torná-la melhor, assim como os alongamentos tradicionais: ioga, tai chi ou Pilates são ótimas maneiras de manter a flexibilidade”.

Manter-se seguro por dentro e por fora nos meses mais frios

Neve, granizo, gelo e temperaturas muito baixas podem dificultar a locomoção a pé e de carro, sobretudo para quem tem mobilidade reduzida. É importante, por isso, planear as saídas com antecedência e, nos dias mais frios, certificar que tem tudo o que precisa em casa (medicamentos e alimentos), se o tempo não permitir saídas. 

Estar também atento às formas de aquecimento, garantindo a segurança das lareiras e afins.

Na rua, deve estar à altura do frio, ou seja, manter-se agasalhado.

Não deixar de fazer exercício

Nem sempre é fácil manter a atividade física no inverno, porque estamos menos inclinados a sair quando está frio ou escuro. Apesar destes obstáculos, é muito importante continuar a exercitar-se nos meses de inverno.

É que o exercício ajuda a manter o sistema imunitário forte, reduzindo o risco de constipações, gripes ou outras doenças comuns do inverno.

O exercício também faz com que o corpo liberte substâncias químicas que melhoram o humor, as chamadas endorfinas, o que pode reduzir o risco de desenvolver um tipo de depressão frequentemente associado ao outono e inverno, chamado transtorno afetivo sazonal (SAD).