O clima pode afetar a tolerância à dor em problemas como artrite ou enxaqueca? Parece que sim, sugere um estudo publicado na revista PAIN®, a publicação oficial da Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP). 

“Embora observacionais, estas descobertas sugerem que o clima tem um efeito causal, não linear e dinâmico sobre a tolerância à dor”, partilha Erlend Hoftun Farbu, estudante de doutorado na UiT – Universidade Ártica da Noruega, Tromsø, autor do estudo. Mas ainda não é claro se a ligação entre o clima e a dor envolve fatores fisiológicos ou psicológicos, ou uma combinação de vários.

Cerca de 19.500 participantes, com idade média de 57 anos, foram avaliados em dois testes sensoriais quantitativos: o teste de tolerância à pressão e dor mediu a capacidade dos indivíduos de tolerar a dor do aumento constante da pressão aplicada na perna e o teste de tolerância à dor pelo frio, que mediu quanto tempo podem tolerar a imersão da mão em água fria.

Os resultados dos testes foram analisados ​​em relação aos dados das condições meteorológicas – temperatura, pressão barométrica, precipitação, humidade relativa e velocidade do vento. As associações entre a tolerância à dor e os fatores meteorológicos foram avaliadas, juntamente com as variações sazonais ou de curto prazo.

No geral, os resultados do teste de tolerância à pressão e dor não mostraram variação sazonal significativa e não foram fortemente associados às variáveis ​​relacionadas com o clima ao considerar todo o período de estudo.

Em contraste, os resultados do teste de tolerância à dor pelo frio mostraram uma clara variação sazonal – os indivíduos foram capazes de tolerar a dor induzida pelo frio por mais tempo durante as épocas mais frias do ano. A tolerância à dor pelo frio também variou com as variáveis ​​associadas ao clima. “Isso se encaixa perfeitamente com a pesquisa sobre adaptação ao frio”, comenta Farbu. “À medida que nos habituamos ao frio, somos capaz de tolerar mais frio.”

Muitas pessoas, sobretudo aquelas com dor crónica, acreditam que o clima ou fatores relacionados com o clima podem causar ou agravar episódios de dor. Embora alguns estudos tenham ido ao encontro de associações entre clima e dor, outros chegaram a resultados conflitantes.

Estas descobertas, especialmente para o teste de tolerância à dor pelo frio, “devem ser consideradas no planeamento de estudos futuros sobre a capacidade de tolerar a dor”, escrevem os investigadores, que discutem algumas formas pelas quais o clima pode afetar a tolerância à dor.

Uma possível explicação são os “mecanismos centrais”, com variáveis ​​associadas ao clima a afetarem partes do cérebro envolvidas no processamento da dor. Alternativamente, o clima pode afetar o estado mental das pessoas – como na depressão sazonal, por exemplo – o que pode afetar a sua capacidade de suportar a dor.

“Em resumo, é improvável que um único mecanismo possa explicar as variações observadas na capacidade de tolerar a dor”, concluem Farbu e os coautores do estudo. “É mais provável que este seja o resultado de muitos mecanismos, possivelmente antagónicos.”