Proposta para criar Dia Nacional da Esperança vai ser debatida em plenário no Parlamento

Flor, símbolo da esperança

Primeiro, foi feita uma petição. Depois, recolheram-se assinaturas, mais de sete mil, entregues na Assembleia da República. E agora só falta mesmo que o Parlamento dê luz verde ao Dia da Esperança em Portugal. Para isso, a Delegação do Dia da Esperança, do IPO-Porto, voltou ontem, dia 13 de março, à Assembleia da República, para explicar melhor o movimento e quais as suas motivações.

O projeto acabou por obter um parecer positivo por parte dos Deputados da Comissão da Saúde e segue agora para plenário.

“Mais que um movimento promovido pelo IPO-Porto e pela sua equipa, este é um movimento de literacia para a saúde, bastante focado nos aspetos positivos que celebram a vida”, refere Laranja Pontes, Presidente do Conselho de Administração do IPO-Porto.

“O principal objetivo deste projeto passa por aumentar o conhecimento e a consciência nacional da investigação clínica e por motivar as pessoas a serem participantes ativos no desenvolvimento da ciência médica. Para o IPO do Porto, os ensaios clínicos são uma janela de esperança para o doente com cancro e é por isso que sentimos a necessidade de alterar o paradigma da recetividade da sociedade.”

Desde 2015 que o IPO-Porto celebra, no primeiro dia da primavera, a Esperança. Numa iniciativa de portas abertas à sociedade, que conta com o apoio da Roche e que é protagonizada por profissionais de saúde, utentes do hospital, entidades oficiais, figuras públicas e muitos anónimos. Este ano a equipa quer fazer a diferença e alargar a iniciativa a uma escala nacional.

Posts relacionados